Enquete: Educação no século XXI

Eu e uma amiga do curso de Pedagogia estamos desenvolvendo o projeto “Educação no Século XXI: Desafios de pais e educadores” e solicitamos a colaboração dos amigos leitores, respondendo às perguntas relacionadas abaixo:

1-     Qual o real papel de pais e educadores na educação de hoje?

2-     Como pais e educadores podem contribuir para formação do ser integral?

3-     A educação do século XXI requer novas habilidades e os pais e educadores estão preparados para este desafio?

4-     Qual a importância da educação familiar?

5-     Quais responsabilidades a família e a escola possuem no desenvolvimento do indivíduo?

6-     E você? Como está educando ou pretende educar seu filho ou aluno?

Agradecemos sua colaboração,

Maria Figueiredo e Luciana Raspa

40 Respostas

  1. Oi minhas queridas!…Compromisso em oferecer o melhor,compartilhando na busca coletiva da superação.Esse é o desafio,respeitar para que a criança adquira o prazer,pois ela vive um momento de transformação no aspecto afetivo e social.Essa é minha preocupação,formar cidadãos responsáveis conscientes de um dia melhor.

  2. Maria Figueiredo e Luciana Raspa,

    Estou visitando seu blog por indicação da Prof. Dinéia. Suas questões são todas pertinentes e traduzem o desafio que quotidianamente nós, enquanto humanos, enfrentamos nesses tempos bicudos. Talvez nunca tenha sido tão necessário quanto agora, unir forças, principalmente partilhando a arte de educar. Não há receitas. Os deveres familiares, dos professores, da escola em si e dos alunos, devem formar um amálgama que se completa com a partilha das responsabilidades e coerência nas atitudes das partes envolvidas no processo educativo. Deve-se considerar as competências familiares e a dos trabalhadores da educação. Parece-me que o diálogo, a transparência dos objetivos e a inclusão dos pais no contexto educacional, trará, sem dúvida, a contribuição que tanto se espera para superar os desafios sempre presentes em nossa realidade.
    A proposta, a pesquisa e a busca de como operacionalizar medidas pertinentes à temática já é um enfrentamento que vocês estão colocando em campo. E isso é muito bom. Parabéns!

    Um abraço,
    Lenita Maria Costa de Almeida – Consultora pedagógica

  3. Com certeza educação escolar anda lado a lado com a familiar, não existe uma sem a outra.E as duas tem a função de desenvolver habilidades e competências para que a criança esteja pronta para enfrentar o mundo de hoje.Porém, o que vem acontecendo é exatamente o contrário, está havendo um jogo de “empurra” o qual a família esta sem tempo, sem paciência e sem condições de exercer o seu papel, e o ensino nas escolas esta sendo cada vez mais menospezado pelos nossos governantes.Procuro educar minhas filhas visando valores hoje tão esquecidos,como o respeito ao proximo, o respeito a vida, a família, mostrando sempre o lado bom das coisas do dia a dia.
    Enfim,seria muito bom se houvesse uma conscientização e uma mobilização das partes envolvidas e elas se interagissem de forma harmoniosa, pois só assim formariam cidadãos conscientes, responsáveis e acima de tudo prontos para contribuir para um mundo melhor!!!!!!

  4. 1-É imprescindível o acompanhamento dos passos da criança com muito amor, dedicação e orientação, pois atualmente o acesso às drogas, cigarros, bebidas, ao mundo do crime está muito fácil e temos ainda as más influências, que é também um fator preocupante.
    2-Acredito que eles contribuem não superprotegendo seus filhos, os deixando cientes dos riscos e perigos do mundo; contribuem ao mostrar que a vida sempre nos dá diversos caminhos, onde seremos obrigados a fazer nossas escolhas, ao conquistar o respeito, a confiança e admiração deles (algo essencial) etc.
    3-Sim, pois como escrevi na 1º questão tem o acesso fácil às drogas, bebidas e cigarros, têm ainda a internet, que pode ser prejudicial para a educação, pois ela é um meio de se obter tudo, seja bom ou seja ruim.
    Na minha opinião muitos pais e educadores não estão aptos a lidar com esse tipo de situação, pois não há muitos meios de restringir o acesso à internet, cabe aos pais orientarem sempre seus filhos.
    4-É de extrema importância, pois a criança deve crescer vendo a família como sua base de apoio, segurança, seu exemplo, etc.
    5-Ambas são responsáveis pela formação como um todo (caráter, pelo comportamento etc).
    É preciso muito cuidado na educação, pois algumas situações desagradáveis que a criança pode, eventualmente, presenciar ou vivenciar, certamente irão influenciar no seu futuro, na sua personalidade.
    Por exemplo: Uma pessoa adulta pode ser excessivamente retraída por causa de algum trauma de infância que não foi superado, algum constrangimento que a marcou ou pode tornar-se uma pessoa com má conduta por causa de uma cena violenta que presenciou dentro de casa.
    6-Pretendo ter filhos futuramente e quando eu os tiver, provavelmente irei educá-los impondo limites, dizendo “não” sempre que necessário, pois quantas cenas eu já presenciei onde a criança domina seus pais, faz o que deseja.
    Vou tentar aplicar tudo que escrevi nas questões acima para poder garantir que meus filhos sejam pessoas educadas, espiritualizadas, conscientes dos perigos do mundo. Vou me esforçar também para que eles aprendam a valorizar e agradecer tudo que possuem, que aprendam a buscar seus sonhos e conquistar os seus objetivos e vou torcer sempre para que eles façam boas escolhas.

  5. 1- O comprometimento de todos nós, pais e/ou educadores para que sejamos provocadores de perguntas, isto é, estimuladores para que os nossos educandos interajam no processo educacional, a meu ver é de grande importância.
    2- Dando oportunidade aos que estão sob nossa tutela de crescerem com motivações de valores pela vida.
    3- Temos que admitir, o quanto ainda temos de aprender, com os próprios educandos, qual a forma mais eficiente de leva-los a serem construtores de seus próprios destinos.
    4- É impossível dar uma completa educação aos jovens sem um testemunho de amor numa família, embora as instituições que acolhem órfãos procurem substituir a família já que faltou na vida destes jovens, esta substituição é paliativa, nada substitui um verdadeiro lar na formação integral do ser humano.
    5- Ambos têm um papel de colocar no coração e na mente do individuo os valores mais sublimes, que são; o amor pelo próximo o respeito ao semelhante nas diferenças inerentes a cada um e um ideal pelo qual lutar durante toda a vida.
    6- Procuro acima de tudo ser espelho para meus educandos tendo respeito e consideração, demonstrando com atos concretos que eu acredito nestes valores, os quais tenho ensinado ao longo da minha vida.

  6. 1- Os pais tem um papel fundamental,pois os filhos dependem das diretrizes que serão passadas por eles e também do incentivo dos mesmos para que no futuro tenham uma boa educação.
    2- Passando bons conceitos de honestidade e carater, e acima de tudo incentivando para que o seu filho sempre estude e assim construa seu futuro.
    3- Acredito que está caminhando pra isto,desde que a pessoa sempre estaja interagindo com a criança estas novas habilidades surgirão com o tempo.
    4- Fundamental,pois é esta educação que dá a base ao ser humano.
    5- Uma responsabilidade muito grande,por este motivo que ambos devem sempre interagir para que consigam cumprir seus papéis.
    6- Procurando sempre se interessar por suas atividades escolares,passando sempre conceitos de bondade e educação,sempre procurarei mostrar os dois lados da vida (o bom e o ruim),para que ele tenha o livre arbitrio de escolher o qual quer prosseguir,sempre dialogando em todas as situações e acima de tudo dando muito amor e carinho,mostrando sempre que ele pode contar com os pais acima de tudo como amigos.

  7. 1- Educar nos tempos de hoje é uma tarefa muito difícil, por isso, os pais devem ter o compromisso e a responsabilidade de assumirem seu papel através de diálogos, atenção, comprometimento e muito amor. Já os educadores devem ser o complemento dessa educação.
    2- Na minha opinião, os pais são reflexos do comportamento das crianças, então um convívio familiar com respeito, diálogo e muito amor é a base para a formação do indivíduo e o educador deve dar continuidade a esse processo na escola através da alfabetização, respeito e amor.
    3- Não, apesar de achar que a família e a escola possam ser grandes responsáveis pela formação do indivíduo, o mundo de hoje requer muito mais preparo.
    4-É base para a formação do indivíduo.
    5-A família é responsável pela conduta do indivíduo e a escola é o complemento.
    6- Tento educar através dos mesmos princípios educacionais que tive, mas é muito difícil, até porque tive o convívio com minha mãe e hoje pago alguém para cuidar do meu filho, que não tem o mesmo modo de pensar que eu.

  8. 1-Os Pais devem ter a responsabilidade de zelar pela formação dos filhos, a partir da mais tenra idade, transmitindo desde noções dos valores morais, ética, respeito, de forma didática e amorosa, proporcionando que esses sejam os alicerces para a construção do carácter de seus filhos, preparando-os como pessoas para o convívio social; a partir da idade escolar, o pais devem passar a contar com a parceria dos educadores, não só para seu desenvolvimento acadêmico, como também para seu desenvolvimento como seres participantes de uma comunidade, de um grupo, reiterando e complementando os valores morais e éticos que já devem ter sido introduzidos e praticados pelos pais.
    2- Acredito que, para que a formação dos filhos/alunos seja bem sucedida, ela deve acontecer em forma de parceria, no que diz respeito a propósitos, alinhamento, abordagem, enfim, e não de forma “desconecta” ou conflitante; tanto pais como educadores devem ter em comum a preocupação, não apenas de estimular o raciocínio, iniciativa, interesse, enfim, mas também de permitir e estimular o exercício da cidadania e a prática dos valores morais e éticos. No entanto, para que isso ocorra de forma bem sucedida, é fundamental que haja uma coerência entre esse responsáveis pela formação desses seres.
    3- Observo que não, na maioria, pois vejo muito pais absurdamente permissivos e negligentes com a educação de seus filhos, outros, extremamente impacientes e agressivos, ou de ambos os tipos, simultaneamente, “comprando” os filhos com presentes e mimos materiais, sem a preocupação de agregar valores, e uma série de educadores que têm a postura de cumprir curriculo, sem a preocupação real de educar, efetivamente.
    4- É a família e o convívio nesse primeiro grupo ao qual a criança é introduzida, que têm o papel fundamental de construir os alicerces para a formação do carácter, com carinho, afeto e firmeza, na compreensão e exercício dos valores, do respeito, da ética, da postura, com a preocupação de criar uma pessoa íntegra, consciente e madura.
    5- Em poucas palavras, a responsabilidade de estimular, desenvolver e exercitar o crescimento intelectual, social e acadêmico da criança, desde cedo.
    6- Como uma futura-mãe que tem a necessidade de trabalhar, ainda que eu não tenha a possibilidade de atuar na educação de meu filho em período integral,tenho a preocupação de atuar pessoalmente nos momentos em que estivermos juntos, e proporcionar ao meu filho condições de estar em desenvolvimento num ambiente educacional saudável, como acredito que seja o mais adequado para essa situação, conforme descrevi na resposta à questão 2. Sei que não será uma tarefa fácil, mas tenho a consciência de que minha responsabilidade vai muito além de providenciar que ele fique com a avó enquanto eu estiver trabalhando até que tenha a idade para ir à escola, ou simplesmente ir leva-lo e busca-lo na escola. Pretendo cria-lo participando e acompanhando-o ao máximo.

  9. 1- Constituir valores, e criar uma base solida com diciplina, amor e carinho.
    2- Orientando e dando suporte as crianças.
    3- Não acho que tenha novos desafios, e sim temos que dar mais atenção com qualidade de presença a cada minuto juntos e não em quantidade.
    4- É a base de tudo, pois educação vem de berço.
    5- Mostrar o cominho correto a seguir pela vida.
    6- Com muito amor, ensinando a respeitar tudo e todos a sua volta.

  10. 1-Quando a criança é pequena tudo parece muito fácil, afinal o bebê está em fase de descoberta. Tudo é novo, tudo é bonito e tudo e qualquer coisa que eles façam, nós achamos um máximo e ao mesmo tempo eles são aventureiros, vivem desafiando o perigo.
    É complicado definirmos o nosso papel de educador nos dias de hoje, onde os bebês crescem rodeados de tecnologias da internet e das grandes novidades dos jogos eletrônicos. As crianças não absorvem as informações essencias que os adultos possuem. Hoje, educar é um grande desafio, estamos cada vez mais limitados de falar, de opinar e cada dia que passa representamos um papel de um amigo “grande” de nossos filhos.
    2-Segundo o humanista Carlos Bernardo Gonzales Pecotche, “A criança é argila moldáveis na qual uma mão amorosa, firme e segura pode ir delineando perfis formosos, polindo arestas formadas em sua curta passagem pela via ou falhas psicologia anterior”.
    Diante do declínio da sociedade, nós pais educadores temos que lidar com nossas crianças como se fosse uma argila de Pecotche. Temos que por em prática nossa conscientização e contribuir para a formação do caráter juvenil. Ou seja, vamos moldar essa argila para que esses jovens tenham um conceito claro de suas responsabilidade, de seguir uma condulta reta tanto na familia como na sociedade.
    3-Vivemos em uma sociedade onde os educadores são submissos aos educandos. O número de queixas de pais e professores é muito grande quanto ao mau comportamento dos jovens, o declinio da disciplina, a proliferação do uso de entorpecentes, etc… Enquanto não houver uma disciplina digna e uma base familiar, pais e mestres serão incapazes de orientar os jovens rebeldes da nossa sociedade.
    4-A família é a base para uma boa formação educacional e principal responsável pela formação do caráter e da responsabilidade das crianças como também é responsável pelo fracasso escolar. Mas isso acontece quando o filho ou filha não tem um acompanhamento freqüente dos pais que organiza seus horários de lazer e estudo. Checam os deveres escolares e freqüenta as reuniões de pais e professores até mesmo para conhecer um pouco mais o educador dos seus filhos.
    Com isso os professores não ficam decepcionados com o mau desempenho dos seus alunos e a falta de interesse dos pais. Pensando dessa forma, o sucesso escolar depende muito do apoio familiar.
    5-A parceria família e escola é fundamental para um bom comportamento humano, cabe aos pais o papel de um bom desenvolvimento acadêmico, social e econômico no lar. A participação dos pais na escolha da escola correta, o financiamento escolar e o envolvimento no aprendizado dos seus filhos. Tudo isso contribui para a escola despertar no aluno o desejo de aprender e dar condições para eles enfrentarem o mercado de trabalho mais tarde.
    6-Como havia salientado nas questões anteriores, pretendo educar meu filho com a base que meus mais tiveram, ou seja, procurar ensiná-lo o certo e o errado uma vez que hoje está muitíssimo complicado educar os filhos da maneira que queremos. São muitos vícios que eles podem encontrar na sociedade, mas acredito que o diálogo é fundamental para uma bom desempenho na faculdade humana.

  11. 1-A formação dos jovens de hoje segue um processo inverso. Os pais pela necessidade de prover o sustento em casa, estão se acomodando e transferindo a educação dos filhos aos educadores que por sua vez não estão preparados para essa missão.
    2-Transmitindo seus conhecimentos de forma objetiva e direta com respeito mutuo e paciência
    3-Estamos vivenciando um momento de mudanças muito rápidas por parte dos jovens e de difícil assimilação. tanto por parte dos pais, como dos educadores. Creio que somente com muita observação e conquista da confiança desses jovens, poderemos transmitir nossos conhecimentos e ensinamentos.
    4-É primordial, pois além do amor há a transferência de valôres morais, tais como: A unidade da família, o respeito ao próximo, a responsabilidade, a humildade, o discernimento……………….
    5-A família tem a responsabilidade de orientá-lo desde sua concepção, tanto através do amor, como do dialogo. Qto.à escola, deve transmitir informações que venham a levá-lo à socialização e prepará-lo culturamente para a vida profissional.
    6-Procurando mantê-lo o mais próximo possível da família que é o alicerce da vida.

  12. 1-Ambos são de grande importância, mas os pais são fundamentais para o incentivo dos filhos ao estudo, pois se não houver esse incentivo, para os filhos tanto faz, a escola passará apenas como se fosse uma fase chata em sua vida, pela qual eles deverão passar.
    Se eu tivesse tido esse incentivo qdo. criança, teria dado ainda mais valor aos estudos, qto. eu dei, hj. me arrependo, não q. eu tivesse sido uma má aluna, mas houve pouco empenho.
    2-Com muita paciência, pois c/ ignorância, não se ensina e nem aprende nada,a ignorância não vêm somente das pessoas menos instruidas, e sim de um modo em geral.
    3-Provavelmente não.
    4-De grande importância, pois a educação familiar é o pilar para um grande futuro, dentro e fora da família.
    5-Educação e Empenho ao Ensino.
    6- Atualmente não tenho filho, mas das pessoas q. precisam e estão ao meu redor, procuro sempre incentivar a não desistir da educação.

  13. Querida sobrinha, conforme seu pedido segue abaixo as opinioes de seus tios Luis e Marcia. Estamos orgulhosos de seu trabalho. Beijos.

    1- Os pais são responsáveis pela educação primária, valorando os princípios sociais, preparando o futuro cidadão para receber a educação complementar de responsabiliddade dos educadores que buscarão a valoraçao dos principios de um cidadão.
    2- Sendo exemplo vivo a ser seguido, não adotando a conhecida fórmula de faça o que eu digo e não faça o que eu faço.
    3- A maioria dos pais não estão preparados, delegando essa responsabilidade a terceiros, pois a vida moderna reduziu o tempo que os pais passam com seus filhos. Com relação aos educadores, somente aqueles que frequentemente se reciclam poderão (nem assim todos) encarar este desafio.
    4- É a base de sustentação da vida íntegra de qualquer indivíduo, pois como se sustenta uma educação completa sem essa base. Vejam a quantidade de filhos de famílias de classe média para cima que hoje envolvem-se em delitos. Não será esse um sinal de que seus pais falharam na educação primária?
    5- Todas as responsabilidades. Elas não podem ser repartidas, pois elas se autocompletam.
    6- As respostas das questões acima são a base do tipo de educação que hoje seria o ideal para o século XXI. Mas não podemos esquecer que certos ansinamentos que nossos antepassados usaram na nossa educação estarão sempre atuais.

  14. 1- Nos dias de hoje, a educação deve ser compartilhada com nossos filhos.
    Motivo pelo qual, devemos estar sempre acompanhando os meios em que atuam. Desta forma, estaremos sempre em atenção com todos os movimentos de novos conceitos do grupos de participantes. Ou como se verifica nas Clãs a qual pertencem.
    Mostrando e aconselhando o melhor caminho a seguir.
    2- Incentivando e motivando os caminhos que estes desejam seguir. De forma tal, descobrindo estes caminhos para que possam ver e ter seus objetivos alcançados. Propondo uma visão de que é possível.
    3- Estar preparado para os desafios de hoje.
    Requer um igualdade de pensamento e atitudes, voltados para os conhecimentos De comportamento do jovem em nosso dia-a-dia. Não se pode mais educar com pensamentos e atos e atitudes de um passado. Hoje os dias são outros, a mídia ou mesmo as formas de entendimento de nossos filhos.
    4- Toda importancia tem a educação familiar. É em casa que se obtém o conhecimento e a orientação das bases que a vida se apresenta. Recebendo de toda a orientação em no lar familiar e que se pode ter E perceber os movimentos quando assim poder aplicar do portão para fora. Do portão para fora é o meio pelo qual poderá se ter a noção do que é o aprendizado no lar.
    5- Incentivando e motivando os caminhos que estes desejam seguir. De forma tal, descobrindo estes caminhos para que possam ver e ter seus objetivos alcançados. Propondo uma visão de que é possível.
    6- No sentido primário de que, possa entender que tudo nasce do lar “Em casa” Um família unida e responsável por seu papel na sociedade e com outrem. O caminho a ser seguido não depende única e exclusivamente de nossas atitudes Em demonstrar o que seja certo e errado, também não podemos estar em todos
    Os lugares para assim orientar e dirigir filho(s), devemos sim atentar ao fato que estamos cumprindo Com nosso papel de pais. Buscando sempre a orientação e a posição de nossos filhos
    junto a família e os grupos de que pertencem.

  15. 1- Bom, primeiramente vejo ambos com papeis distintos, discrepantes em funções, afetos, saberes, histórica, mas devem se complementar.
    Ontem, dia 22/08, assisti uma palestra do professor Almerindo e acho que, de alguma forma, seja interessante trazer para a resposta. O professor alertava-nos para os perigos dos “neos”, (“neocontrutivismo”, “neoconservadorismo”, “neoqualquercoisismo”) que, na verdade, são nomes novos para coisas antigas. Às vezes achamos que um contexto histórico novo traz, por si mesmo, novas concepções de mundo e coisas. Então, ao percebemos uma mudança histórica ou uma tentativa de mudança, já começamos a colocar nomes novos em coisas velhas, passamos do Modernismo, para o pós-modernismo, para o neomodernismo, sem muitas vezes nos perguntar: O que de fato mudou?
    Pensando agora sobre o questionamento feito, o que de fato mudou da educação de ontem para a educação de hoje, para que assim possamos pensar em reais papeis de cada um.
    Em minha visão, creio que algo mudou, mas não concordo com uma linha de pensamento que afirma que o(a) aluno(a), mudou tanto que a escola não sabe lidar com esse(a) novo(a) aluno(a), coloca-se, muitas vezes, como motivo de “evasão” (ou melhor expulsão) escolar nos(as) alunos(as) que, hoje são rebeldes, e não aceitam a forma da escola.
    O questionamento que faço é: será que, na verdade, isso não aconteceu somente quando a escola foi, realmente, necessária a certa classe dominante? Até antes da revolução industrial, a escola era não uma necessidade em si, mas algo onde classe dominante tinha, e quem sabe ainda o tem, como forma de se afirmar através de um diploma. Não existiam escolas para o povo, ou escolas do povo, mas sim escolas para a elite e da elite.
    A revolução industrial trouxe consigo uma nova forma de ser, de trabalhar, e ai, parte da burguesia viu-se com uma enorme escassez de “Mão-de-obra”, mas uma “mão-de-obra” a-crítica, a-política, e sim uma mão-de-obra assalariada. Em fim, saímos do modelo escravocrata para adentrarmos num modelo industrial.
    Mas o que fazer com as crianças dos(as) operários(as) já que as pessoas saiam do campo, para ficar na cidade? Foi então que ate mesmo em pequenas cidades começam a surgir a periferia. Necessidades que antes não existiam como Escola para todos e todas, Hospital para todos e todas, Segurança para todos e todas, ou seja, questões públicas vem a toma, pois a cidade não estava pronta para tal demanda.
    Ai vem a grande dúvida, será que o papel do pai e da mãe, ou da(o) professora(or) efetivamente mudaram? O pai ou mãe de ontem, são realmente diferente dos pais e mães de hoje? O(a) professor(a) de ontem é realmente diferente do(a) professor(a) de hoje? Ou a visão de escola , ou melhor de necessidade de escola que tínhamos, (escola de poucos e para poucos) é que era deturpada fazendo-nos ter uma falsa impressão de mudança.
    Não nego que o pensar, o falar, o relacionar, ou ainda, a forma de fazer cultura hoje é diferente da forma de fazer cultura há poucas décadas atrás. Mudanças aconteceram e é preciso pensarmos, ou melhor, repensarmos os papeis de cada um e uma (médico(a), policial, professor(a), etc) na sociedade atual e, a mim, esse pensar deve, necessariamente, ser contextualizado.
    O papel do(a) professor(a) na periferia não é, e nem pode ser, o mesma papel do(a) professor(a) em uma escola particular rica na cidade. O papel de um pai ou uma mãe na favela não é, e nunca será, o mesmo papel de um pai empresário ou uma mãe empresária. Refletir sobre o papel de cada um(a) na “educação moderna” (?) é, acima de tudo, respeitar as diferenças de cada um(a) nessa “sociedade moderna”. É buscar no homem e na mulher, na sociedade, no fazer-se humano enfim, respostas e perguntas para que, somente assim, encontremos novos valores educacionais.
    2- No pensar nobre o papel de forma contextualizada, o qual me refiro acima, é pensar coletivamente, ninguém se faz por ninguém, ninguém faz ninguém e ninguém se faz sozinho. É preciso então que a sociedade toda seja ouvida e pensada, pois a formação do ser, não acontece somente na escola, mas sim na vida em seu fazer-se humano.
    Então cabe a educadores, educadoras, pais, mães, sociedade em geral refletir sobre a própria sociedade, escutar suas angustias, medos, necessidades, etc. e então, quem sabe, pensar em um novo currículo para a escola desta sociedade.
    3- Creio que requer habilidades, mas não sei o quanto são novas. Talvez basta, apenas, um repensar velhas habilidades, ou, quem sabe, contextualizar tais habilidades. E se estar preparado for estar consciente de tais desafios para que assim possamos superá-los, acredito que esse repensar contextualizado será o suficiente.
    4- Não separo muito a ação de educar do professor da ação de educar dos pais e mães. O saber comum, aquele que muitas vezes é construído de mão e/ou pai para filho ou filha é parte importante do educar freireano. Logo, para mim, de suma importância.
    5- Toda, ou melhor, quase toda. Creio que elas, associadas às demais instituições, se completam.
    6- Creio que de forma humanística educando do seu mundo para o Mundo, fazendo-o(a) compreender o local, para quem sabe, transforma-lo. E, após feito isso, quem sabe entender o mundo.

  16. Em se tratando da rede pública de ensino: administração pública, corpo docente e instituição familiar devem falar a mesma língua. Significa a plena conscientização de que esses três pilares juntos podem formar a base de sustentação necessária na conquista de um projeto ambicioso que busque resgatar alguns conceitos fundamentais presentes numa sociedade consciente de seus direitos, deveres e obrigações.
    É necessário atuar em várias frentes como:
    1-Grande investimento na educação infantil, porém, sem deixar de lado o ensino fundamental e médio.
    2-Permitir um aumento da eficiência do educador, através de suporte técnico, capacitações pedagógicas e condições de trabalho adquadas.
    3-Atuação mais presente das famílias, contibuindo de forma significativa para o êxito de conceitos trabalhados nas escolas.

  17. 1- Além de formar profissionais, ter atenção na formação do índivíduo nos princípios éticos, uma vez que ser honesto no Brasil tá ficando “fora de moda”.
    2- Mostrando que ser de bem, agir com correção vale a pena, tem recompensa, que ter a consciência tranquila não é algo fora de moda.
    3- Claro. Hoje as informações circulam muito mais depressa, estão muito mais acessíveis, bastando para isso um pouco de curiosidade. Quanto a estar preparado, sim, mas não como deveria, uma vez que não são todos os pais e educadores que têm acesso a esses meios de propagação de informações e nem sempre os que tem, estão corretamente preparado. Internet principalmente.
    4- O primeiro modelo a ser seguido que a criança conhece é o seu Pai/Mae, se tiver bons exemplos, tem boa chance de ser um bom cidadão
    5- Ambas têm as mesmas responsabilidades, porém em percentual diferentes: A ecola não deve formar apenas profissionais e os pais não devem apenas formar homens/mulheres, um complementa o outro. Não devemos deixar tudo na mão da escola e vice-versa.
    6- Não sou mais alunos e ainda não tenho filhos.

  18. Oi Lu, ai vão as respostas:
    1- Os pais estão cada vez mais ausêntes da educação dos filhos, quando deveriam ser os principais agentes.
    2- Trabalhando em conjunto. Ensinando a criança na escola e fora dela, não se restringindo a disciplinas escolares, mas a comportamentos, atitudes e conhecimentos extra-escola.
    3- Acredito que não, para a maioria das pessoas a educação não mudou, e outros não querem ver essas mudanças.
    Antes de educarem as crianças, os professores e pais deveriam serem educados a educar melhor.
    4- É muito importante, sendo esta a base para os demais aprendizado.
    5- As mais importantes, pois através da familia e escola é que as pessoas formam suas personalidades, carater e adquirem cultura; que atualmente estão em falta no Brasil.
    6- Pretendo educar meu filho para que seja uma pessoa integra, honesta, culta, saiba distinguir o certo do errado, saiba pensar sozinho. Tudo isso é claro que só será conseguido com o apoio da familia e de bons profissionais da educação.

    Tomare que eu tenha ajudado.
    Lu,bjs
    Nelson

  19. Luciana:
    – Receba por este, os meus mais sinceros votos de todo o meu carinho que tenho a uma pessoa especial como voce.
    – Espero ter contribuído da melhor forma possível por esta pesquisa de trabalho que esta sendo realizada.
    – Deixo aqui o meu comentário ou melhor, talves um pedido.
    – Que os pais não deixem de contribuir com atenção, carinho, compreenção, cumplicidade e amizade com seus filhos.
    – Que procurem não apenas serem “pais” mas sim, um amigo com que possam contar.
    – Sempre de coração aberto digo a minha filha.
    ” Filha, seja como for e onde for, conte sempre com seu Pai. Estarei sempre ao teu lado.”
    Desta forma, incentivo toda uma verdade de vida e oportunidade de que possa sentir o quanto me faço valer em todos os seus momentos de vida.
    – Sr(s) pai(s, sejam amigos e confidentes de seus filho(s).
    Errando ou acertando tenha orgulho de te-los em seus corações.
    Não deixem de dizer. Filho(s) EU TE AMO.

  20. 1- Encaminhar os filhos para uma vida no mundo sendo honestos, trabalhadores, caridosos e que respeitam os outros para seram respeitados. Sem esperar algo em troca deles
    2- Dar-lhes educação desde o berço, praticar com eles e ensinar-lhes uma religião
    3- Muitos não, eles queram continuar do mesmo jeito do que 50 anos passado.
    4- É o primeiro lugar que a criança conhece depois de nascer e tambem aonde ele fica mais até uma certa idade, nos primeiros 7 anos nos conseguimos moldar a criança então e no lar que elea esta neste momento.
    5- De formar homens honestos e dignos, não ladroes ou vigaristas.
    6- Eu consegui, graças a Deus educar meus filhos do jeito que pensei, agora são homens de 22, 20, 18 e um rapaz de 15 anos. Não tem preconceitos com as pessoas, ajudam quem eles conseguem, trabalham e estudam no medida das possibilidades que tem, respeitam, tem vontade propria e sabe enfrentar a vida no mundo com dignidade.

  21. 1- Acredito que o papel dos pais e dos educadores é muito importante:
    os primeiros e principais responsáveis pela educação dos filhos são os pais que devem assumir toda a responsabilidade, impondo limites e principalmente dando muito amor, pois quando há um equilíbrio entre essas duas ferramentas a criança se torna um adulto preparado para a vida;
    dos educadores em segundo lugar pois na escola a criança aprenderá as primeiras noções de socialização e de como viver em grupo; aprenderá que ela não é o centro do mundo e que se quer algo tem que batalhar.
    2- Mostrando a diferença entre o certo e o errado, o ético e o não ético, o bem e o mal, o amor e o ódio.
    3- Se não se julgarem preparados não devem embarcar nesse barco. O mundo está progredindo e quem não acompanha esse progresso não chegará a lugar nenhum.
    4- É a base de tudo. É no lar que se inicia a formação moral e intelectual de qualquer cidadão. Deve haver um equilíbrio entre o amor e a disciplina.
    5- A responsabilidade de formar um cidadão consciente de seus direitos e seus deveres.
    6- Tenho duas filhas, uma de 12 anos e uma de 07 anos e busco educá-las dentro desses padrões que julgo os melhores: dando carinho, amor, conversando e também sendo firme e, se necessário, usando da disciplina (castigo, exemplo: ficar uma semana sem usar o PC ou ver TV).

  22. 1- A responsabilidade dos pais é formar a base, psquica, emocional, fisica de seu filho. O papel do professor é o de prover o conhecimento, estimulando o ser humano.
    2- Trabalhando em conjunto, discutindo os pró e contras e juntos chegando a um senso comum.
    3- Em pleno seculo XXI, NÃO!
    4- A educação familiar é a base do ser humano.
    5- Já respondi esta pergunta no item numero 1.
    6- O meu filho já possui a base, ele tem 20 anos está formando a sua propria construção, pois ele é um ser unico e sabe das suas responsabilidade e deveres: Direito subjetivo. Pretendo ser professora, vou passar o conheciemnto de acordo com a individualidade de cada um e chegar a um consenso de grupo( sala de aula).

  23. 1- Hoje os pais e educadores têm um papel maior que transmitir
    conteudos escolares, pois as crianças são bombardiadas a todo momento com lixo cultural, que impede a criança de vivenciar e aprender os verdadeiros valores.
    2- Os pais e professores podem trabalhar juntamente, incentivando as crianças com leitura de diversos tipos de textos, pesquisas em internet, nas atividades escolares, no lazer, entre outros.
    3- Não.
    4- A criança não aprende só na escola, ela aprende principalmente em casa, no bairro, no posto de saúde, padarias, entre outros, é preciso valorizar este aprendizado. A família é de fundamental importâcia é a base de todo o ser humano.
    5- Deve se esperar da família, juntamente com a escola que criança
    venha adquirir habilidades e competências para poder transformar sua vida e
    seu entorno.
    6- Respeitando o saber do meu aluno e propiciando novos saberes. Meu aluno não é uma folha em branco.

  24. Olá, Maria!
    Estou enviando meu comentário sobre as perguntas.
    1- O real papel de pais e educadores é orientar os filhos e os alunos baseando semprena lei de Deus o amor, para este ser se sintar respeitado e amado.
    2- Respeitando as opiniões deste ser, dando assim autonomia vigiada. Além de sempre direcioná-lo para o caminho do bem, mostrando que o amor contrói e que ele é capaz de tudo basta ter perseverança.
    3- Como educadora vejo que muitas pessoas ja estão percebendo e vivendo estas mudanças mas é claro que muitos de nós ainda não está preparado para esta nova realidade.
    4- Tenho certeza que a educação familiar é a base da formação deste ser, pois é na família que inicia-se a educação, em sala de aula fica muito claro a importância da família na formação de uma pessoa.
    5- As duas partes possuem responsabilidade na formação do ser, pois se nós lembrarmos da nossa infância teremos sempre recordações positivas ou negativas dos momentos com nossa família e com professores. A responsabilidade de ambas das partes é contribuir para formação de um ser integro, capaz de quando errar pedir perdão pela sua falha, ser responsavel pelas suas ações e sempre antes de agir colocar o amor na frente.
    6- Atualmente sou professora e mudei muito a forma de ver e sentir meus alunos, através de estudos percebi a minha importância na formação deste ser, mas sei que tenho muito que mudar ainda, mas acredito que unindo forças iremos contribuir cada vez mais para formação das pessoas.
    Abraços, espero ter contribuido para seus estudos!

  25. 1) Usarei a palavra EDUCADORES para expresar pais e professores, pois acredito que ambos exercem o mesmo papel e a mesma importancia na Educacao de criancas.
    Os papeis dos educadores sao muitos, pois alem de ensinar conteudos didaticos cabe, tambem, ensinar sobre conceitos de vida: valores morais, cultura, etica, independencia, cuidados consigo mesmo e com o proximo, etc.
    Familia e escola precisam caminhar juntos nessa jornada, sem delegar maior ou menor importancia a uma das partes.
    2) Educadores, em geral, precisam se preocupar com a formacao integral de seus filhos e alunos. Como fazer isso? Nao deixar que o conteudo didatico ou a “nota final” seja o mais importante na formacao integral do ser. Acredito que, se unirmos os conteudos didaticos aos acontecimentos cotidianos dentro da sala de aula, podemos obter otimos resultados na discussao de valores, resolucao de problemas, independencia, trabalho em equipe, etc.
    3) Acredito que pais e professores da atualidade estao mais cientes e preparados para educarem dentro de casa ou dentro da sala de aula. Cabe aos educadores profissionais (professores) auxiliarem os pais por meio de constantes encontros/reunioes para discussoes sobre diferentes temas como: Limite, Sexualidade, Etica, Programas Culturais, Psicologia Infantil, etc.
    4) A Educacao Familiar tem uma enorme importancia na formacao integral do ser. Os valores familiares irao interferir no decorrer da vida do ser humano, independente de onde ele estudou.
    Eh por esse motivo que acredito que a escola tem como uma de suas funcoes, apoiar os pais por meio de encontros periodicos para, juntos, encontrarem solucoes adequadas na Educacao dos filhos/alunos.
    Muitos pais, por ignorancia ou inexperiencia, nao conseguem estabelecer valores ou regras dentro de casa. Se esses pais nao encontrarem apoio na escola, tudo que o aluno aprender dentro da sala de aula sera em vao!
    5) Famila e Escola precisam, sempre, caminhar juntas para obterem a formacao integral do ser.
    6) Pretendo educar meus filhos da mesma maneira que eduquei meus alunos no decorrer dos ultimos 10 anos. Acredito na formacao do ser baseada na troca de experiencias e trabalho em equipe, proporcionando assim, um ambiente de confianca e aprendizado mutuo (educador/aluno, aluno/educador).

  26. 1- Ética e crítica, atreladas ao conhecimento da história e cultura, penso que aos pais cabe a revalorizaçao de atitudes que nos hominiza, valores os quais em nossa sociedade estao em crise, tarefa difícil pois tais valores estao se perdendo a cada geraçao, por isso a urgencia em recuperá-los, nao deixa de ser paradoxal, mas nessa corrida desleal, estaríamos como contribuintes, nós professores, outra tarefa nada fácil e por isso encontramos ambientes de trabalho inóspitos que nos levam a pensar em desistir, somo antes de professores, humanos, temos limites, mas também ao escolhermos essa profissao temos que nos dotar da consciencia do grau de dificuldade que iremos nos deparar.
    2- Como falei acima, uma educaçao integral deve buscar a recuperaçao da consciencia da responsabilidade de estar no mundo. O que fazemos, falamos, pensamos, se desdobra em consequenicias
    3- Creio que nao estamos e como disse acima, vejo este movimento de inversao e crise de valores como um crescente. Trabalhamos numa micro dimensao, somos nos próprios frutos de nosso tempo, porém se usarmos desta dupla ética e crítica tlavez tenhamos alguma chance. Indico a vocês um autor muito interessante pois alia estes dois fundamentos, o nome dele é Robert Kurz, ele tem textos sobre educaçao, arte, liberdade, conhecimento, pensando-os em relaçao ao nosso tempo
    4- Ela toda importante, ela é a base, o fundamento, o primeiro contato ou meio do individuo com o mundo, é a sua referencia. Hoje sabemos que esta insitiuiçao também está em crise, o que torna nosso trabalho mais dificil ainda
    5- Como disse tanto a família como a escola sao as primeiras referências de um individuo, portanto nossas açoes, posso dizer somente, como professora, apresentam-se como exemplares, elas apresentarao exemplos de valores, comportamentos, noçoes de certo e errado, e acho que mesmo sabendo que vou na contramao de nosso tempo, preciso falar em certo e errado, isso ainda existe e nao deve ser camuflado. Nossa época questiona essa dicotomia e isso é uma de suas perversoes, precisamos sim recuperar essas noçoes de certo e errado, nao para subjugar, mas para nos tornarmos seres responsáveis.
    6- Busco sempre a revisao do meu ser e estar no mundo tendo como parametro, educadores com os quais compartilho ideais. Paulo Freire é um deles. Busco sempre estar aberta, embora isso nao seja tarefa fácil, pois todos temos nossas pequenas verdades, mas tenho consciencia do quanto é importante se manter aberta para o mundo, sempre tentando conciliar ética e crítica. Sei que como todo ser humano, estou em constante transformaçao e busca, jamais satisfeito, talvez esse seja nosso tormento, mas também a nossa maior dádiva

  27. Ai vai a minha contribuição.
    Ótimas perguntas.
    Espero ter ajudado.
    Bjs,

    1- Entendo ser crucial. Vejo o professor como agente de mudança e transformador da sociedade que vivemos hoje. precisamos dar uma injeção de valores na sociedade e o momento mais adequado é até o sete ano quando estamos formando a personalidade de uma pessoa. Quanto aos pais, devem trabalhar juntos aos professores e promover um ambiente saudavel em casa para a pratica do respeito.
    2- Podem contribuir sendo exemplos de valores que queremos que as crianças aprendam. Acredito muito na educacao pelo exemplo. Os pais e professores podem mostrar para as criancas que não só dinheiro é importante que precisamos balencear familia, amigo, estudo, espirito, enfim todos os campos da nossa vida.
    3- Entendo que poucos pais e profissionais, pois muitos vivem na superficialidade do materialismo e não estão preparados para forma seres humanos integrais.
    4- Fundamental para a pessoa não perder a visão do todo e valorizar outros subsistemas da vida. É nos primeiros contatos que temos na familia que aprendemos a amar, ser amados e a respeitar.
    5- Familia: vivenciar na prática valores fundamentais basicos. Ter e ser exemplo. Aprender que para crescer as vezes precisamos cair mas que sempre terá alguem para nos ajudar.
    Escola: reforçar os valores que são aprendidos em casa com outras pessoas. Aprender a dividir e a conviver de forma justa e colaborativa.
    6- Pretendo educar meu filho com muito amor e respeito. Estes são valores básico que nos permite ser seres humanos melhores e assim ser instrumento de um mundo melhor.

  28. 1-Primeiramente que a educação dos pais é imprensidível para os futuros jovens. Porque se o pai tem uma índole digna os filhos se espelham primeiro com quem convive; e como hoje os pais trabalham muito as vezes isso fica nas mãos dos educadores.
    2-Ensinando sempre o certo e o errado.
    3-Alguns sim com mais preparo educacional e muitos, ou seja, a maioria ainda não.
    4-Essencial para a construção de um futuro brilhante.
    5-A escola de educar e os pais de dar amor.
    6-Eu pretendo ensinar e buscar o melhor para a educação das minhas duas crianças, más sei que hoje a educação pública não da a estrutura adequada para meus filhos.Busquei a melhor escola do meu bairro e sei o que não puder ensinar a escola poderá me ajudar.

  29. Oi
    Tudo bem?
    que interessante, tb estou fazendo um projeto na minha faculdade relacionada a este tema, o meu tema é o seguinte “EDUCAÇÂO:Desafio de pais e educadores.”
    Ainda estou coletando materiais, vcs tem alguns ai?
    Espero matermos contato mais vezes.
    Beijos

  30. Olá Patrícia Meire,
    Fico feliz de saber que outras pessoas estão trabalhando este tema que considero muito importante. Quanto a questâo de materiais tenho pesquisado diversos autores e divulgo suas obras aqui no blog nas sugestões de livros. Um deles, Içami Tiba, em um treho do seu livro “Quem ama, educa,trata do papel dos pais e educadores e das conquistas que poderão alcaçar quando se unirem para educar as crianças. De momento lembrei-me deste autor, mas os outros também trazem grandes contribuições nesta área. Espero que volte sempre para trocarmos mais idéias…
    Um abraço,
    Maria Figueiredo

  31. 1)– Creio que o papel dos pais e dos educadores, na educação de hoje, continua o mesmo que sempre foi, ou seja, os pais, orientando, dando rumos, corrigindo, formando, e os professores dando continuidade à educação iniciada em casa, associando a isso, o despertar pelo saber, em todos os aspectos.
    2)– Tentando ao máximo, despertar na criança valores hoje relegados a um segundo plano, como respeito, não violência, amorosidade, solidariedade, retidão.
    3)– Não, não estão. A educação no nosso século massificou-se, em razão da globalização. Os indivíduos estão cada vez menos “individualizados” e cada vez mais, necessitando se inserir no mundo globalizado. Assim, esquece-se que cada indivíduo é único, com suas características próprias, seus sonhos e aspirações, e que muitas vezes, lhe é difícil fazer parte desse rolo compressor. Os pais, desejando cada vez mais, que seus filhos tenham êxito profissional, acabam descartando aspectos de suas personalidade, para que ele possa viver adaptado na nova sociedade. Em decorrência disso, formam adultos infelizes.
    4)– A educação familiar é o alicerce da sociedade. A violência da nossa sociedade hoje, é em grande parte oriunda da desestruturação das famílias. Filhos criados sem pai, sem mãe, relegados a própria sorte, não possuem referências, não têm um modelo a ser seguido. As pessoas hoje, estão tão preocupadas em “ter” que acham que suprem a necessidade dos filhos apenas lhes dando o que pedem. E, aqueles pais que precisam trabalhar desesperadamente para sustentar os filhos, acham que alimenta-los é suficiente. Esquecem-se de moldar-lhes o caráter. E uma falha de caráter na infância, pode definir o futuro do homem, quando adulto.
    5)– A responsabilidade de “formar”o homem. O formar, significa muito mais do que torná-lo competitivo no mundo dos negócios. Transcende o aspecto material. É muito importante termos filhos bem sucedidos, e às escolas, muito interessante ter ex-alunos brilhantes, bem colocados profissionalmente. Mas isso não basta. Precisamos muito mais. Precisamos formar gerações de indivíduos que saibam respeitar ao próximo, consigam ser solidários aos seus irmãos, que olhem nosso planeta com amor, que cuidem da natureza, que enfim, lembrem-se que ao homem foi dado a capacidade de pensar, e é necessário usar essa capacidade para benefício de todos.
    6)– Estou tentando até hoje educar meus filhos, de forma a respeitar a todos, e fazer-se respeitado, valorizar a verdade, a não violência, a paz, a retidão. É uma tarefa árdua, pois a pressão externa é muito grande. Enquanto nossa sociedade não entender, que para uma sociedade mais justa, temos que ter investimento maciço em educação, mas uma educação voltada não só para o aprendizado e para o conhecimento, mas também para o aprimoramento do capacidades natas do homem, tornando-o consciente que esse estágio é de suma importância para sua evolução espiritual.

  32. 1- A educação nos dias de hoje, num mundo altamente competitivo e complexo, exige uma preparação muito maior tanto por parte dos pais como dos educadores. Não é possível mais acreditar que as salas de aula como são constituídas, sem mudanças desde os primórdios feudais, possam realmente preparar nossas crianças para o dia de amanhã. A base da educação, hoje em dia, deve estar baseada não num professor ou num educador detentor de todos os conhecimentos e capacitado para determinar o que deve ou o que não fazer parte dos conhecimentos infantis. Temos que ter consciência de que as necessidades intelectuais de nossas crianças superam em muito o que podemos oferecer em sala de aula. Na verdade, nós educadores e pais temos muito o que aprender com as cianças. Elam aprendem melhor sozinhas do que com nosso auxílio. Nosso papel deverá ser de observador.
    2- A contribuição que nós podemos oferecer é de permitir que os livros/brinquedos estejam ao alcance de nossas crianças. Não importa se é de matemática, física ou história infantil. Os livros têm que estar junto aos locais em que as crianças brincam . Elas devem escolher o que olhar e o que pesquisar independente de qualquer currículo. Nossa obrigação é escolher materiais e livros que estejam ao alcance daquela fase de crescimento e desenvolvimento mental. Nós devemos também, adequar as diferentes velocidades de aprendizado das diferentes crianças alocadas num mesmo local. Nunca devemos usar o termo ESTUDAR. As crianças estarão em recintos diferenciados para brincar e pesquisar o que quiserem e a hora que quiserem. Deixe por conta delas a motivação. Fique por perto apenas para responder as questões que elas levantarem. Responda só o que elas perguntarem e NÃO DÊ AULA. Apenas responda.
    3- Não, nós não estamos preparados. Ainda mantemos e acreditamos que o modelo de sala de aula como é, sempre deu certo e, portanto, devemos mantê-lo. ERRADO! Nós estamos atrapalhando nossas crianças ao manter as coisas como estão. Acredito que não deveria mais existir sala de aula, nem professores, apenas observadores do desenvolvimento das nossas crianças. Vamos acabar com as escolas!!! Vamos acabar com as provas!!! Não existe nada mais excludente do que dar nota aquilo que a criança aprendeu.
    4- A base da nossa existência é a família. Nós somos e nos esforçamos em manter a boa conduta por causa da família. Se a família é desestruturada, sem cultura, sem valores, é muito provável que as crianças que aí vivem e crescem, apresentarão muito mais dificuldades para se situar no que a vida representa e a razão de nossa existência. O respeito pelas outras pessoas e pelas diferenças que existem entre elas, dependerá do aprendizado que ocorre dentro de casa, no seio familiar. Se meu filho não respeita as diferenças ou os diferentes é porque, muito provavelmente, esta qualidade não foi bem trabalhada na minha família.
    5- O copiar o que o outro faz é uma das formas mais presentes no aprendizado, não só no ser humano como em outros animais ditos inferiores. A responsabilidade é da família em educar a criança. E educar não é uma vez por mês ou uma vez por semana. É toda hora, todo minuto, todo segundo. Educar é muito difícil. Dá muito trabalho. É repetir, repetir, repetir infindáveis vezes a mesma coisa, a mesm palavra, a mesma atitude. É dar exemplos e se portando adequadamente sempre! A criança aprende (e se educa também) em qualquer lugar que estejamos. No ponto de ônibus, na fila do banco, no carro enquanto dirigimos, ao pedir um refrigerante na padaria, etc, etc, etc … Pais, abram os olhos!!! Seu filho está copiando o que você faz. O que o vizinho faz. O que o amiguinho faz. É assim que ele aprende. É assim que ele se educa.
    6- Dando o exemplo o tempo todo. Tendo postura e ilustrando-me o tempo todo. Eu leio sempre. Eu pratico esporte sempre. Eu beijo minha esposa e digo “eu te amo” sempre. Al’em disso, Coloco-o em escola que tenha a oferecer est’imulos dos mais variados, que atinjam todas as ‘areas de desenvolvimento humano e, principalmente, que tenham exemplos de postura, atitude e de aceite do diferente e das diferencas.

    Vicente Jose Assencio Ferreira

  33. 1) Na educação de hoje os papéis encontram-se confusos, muitos pais são ausentes na formação de seus filhos e muitos professores “educam” sem saber o que estão fazendo e o que ou quem realmente querem atingir. Projetos pedagógicos desconexos da realidade dos alunos e do Projeto Político-Pedagógico.
    2) Eles podem iniciar suas contribuições olhando para o aluno ou filho…Olhar, para alimentar-se de idéias que podem transformar a realidade de muitos que não têm acesso aos meios de tecnologia, lazer, cursos. Que os pais sejam mais presentes e que de nenhuma forma permitam que seus filhos sejam carentes (de atenção, de oportunidades, inclusive de carinho).
    3) Neste momento é importante pensar e entender quem está se movimentando, onde estão e para onde querem ir. Numa visão otimista, percebo que nas cidades mais desenvolvidas estão tentando “inovar” na educação escolar. Já nas cidades menos desenvolvidas continuam sendo esquecidas. A estrutura da família da camada popular (pelo menos aqui em São Paulo) muitas vezes é feita por uma avó que cria, uma tia, uma mãe ou pai…estes últimos, muitas vezes encontram-se separados e sempre que se vêem discutem por coisas que muitas vezes não contribuem na formação de seus filhos.
    4) A educação familiar, fazendo parte do tripé família-escola-comunidade, não podem andar separados. São ambientes e pessoas-exemplos na vida das pessoas, principalmente quando falamos das crianças. Estes espaços e pessoas, principalmente a família é parte fundamental para a constituição educacional e integral do ser.
    5) achei um pouco repetitiva, ou não entendi a pergunta…
    6) Pretendo educar mostrando-lhes o que acontece na sociedade em que vivem, aproveitando as coisas boas que o mundo nos oferece e ficando em alerta às coisas não tão positivas. Para isso é importante que o aluno ou filho tenha uma posição crítica para os acontecimentos. E, o que antecede o momento da constituição do ser crítico, são as relações vivenciais que eles têm com os diversos espaços e pessoas.

  34. 1- Acredito que o “papel” que tanto pais e educadores devem desempenhar no compromisso da educação de seus filhos e da sociedade não mudou – o problema é que não “assumimos” este papel com a responsabilidade que nos compete, ou seja, temos o dever de promover o aprendizado, acompanhamento, possibilidades para que a criança, adolescente, adulto se desenvolvam.

    2- Nós: pais e educadores somos os facilitadores que contribuem para a formação do aluno e entendo que a sala de aula deve ser a continuidade do trabalho (de estímulo) que inicia em casa, na família e vice versa. O compromisso é de todos os envolvidos no processo, ou seja, família e a escola.

    3- Paulo Freire em uma de suas obras apresenta-nos certas exigências para atuação docente, a qual pode ser adaptada, inclusive por pais, são elas: respeito aos saberes dos educandos; reflexão crítica sobre a prática; humildade e defesa dos direitos dos educadores; liberdade e autoridade; saber escutar e estar disposto a dialogar com os educandos.
    Outras concepções importantes que Paulo Freire destaca e que apontaria como habilidades necessárias para formação de cidadãos, sejam eles meus filhos, alunos são: somos seres inacabados e aprenderemos durante toda vida; aprender não é acumular conhecimento; a aprendizagem é volátil e sujeita a superação; precisamos aprender à pensar; aprendermos aquilo que faz parte do nosso projeto de vida; se a escola é prazerosa o aluno aprende; o professor é um animador, um organizador, estimulador de pesquisas; o professor “ensina” para e pela cidadania; o aluno é o protagonista e a escola forma enquanto se transforma.

    4- É na educação familiar que inicia o estímulo à educação, ao aprendizado. É em casa que somos (ou deveríamos ser…) estimulados a perguntar, tentar, errar – acertar, promover a superação das dificuldades.

    5- Acredito que as responsabilidades neste contexto está intimamente ligada a construção de valores que permearão nossas vidas: tanto em casa quanto na escola deve haver uniformidade nos valores que são cultivados, pois consequentemente serão “incorporados” como verdades.

    6- Penso muito na responsabilidade que tenho não somente com meu aluno, mas com o grupo de pessoas que trabalho, que me relaciono. Tem uma frase do Paulo Freire, que inclusive é a epígrafe do meu trabalho, que diz o seguinte: ““… Às vezes, mal se imagina o que pode passar a representar na vida de um aluno um simples gesto do professor. O que pode um gesto aparentemente insignificante valer como força formadora ou como contribuição à do educando para si mesmo”. É sob esta perspectiva que tento ser coerente e ética com meus princípios, com aquilo que acredito e com a responsabilidade que tenho enquanto educadora, cidadã!

    Obrigada por este espaço e pela possibilidade de refletirmos a respeito destas questões.
    Boa sorte e sucesso neste trabalho!!

  35. Esta pesquisa é de grande valia nos tempos de hoje onde percebemos que a distancia entre a educação e a vivência de valores é bem grande.
    O caminho para o progresso de uma nação passa pela educação, contudo, esta educação deve ser de qualidade.Para isto todos nós educadores devemos buscar esta troca de idéias para aperfeiçoarmos o padrão de educação para este novo século. Mais uma vez parabéns aos organisadores deste projeto.
    Um grande abraço, pe. Edelto.

  36. gostaria de saber,qual é a importância de definirmos os objetivos para nossas ações educacionais?

    desde já agradeço!! Obrigada!!

  37. Ref.: III Simpósio Pedagógico e Pesquisas em Educação – SIMPED

    Pela presente estamos divulgando o III Simpósio Pedagógico e Pesquisas em Educação – SIMPED, que se realizará nos dias 3, 4 e 5 de setembro, sendo que as submissões de trabalhos podem ser efetuadas até o dia 13 de junho.

    A Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Dom Bosco – AEDB, por meio desta iniciativa, abre a oportunidade aos pesquisadores e estudiosos para publicarem artigos, relacionarem-se com colegas da mesma área, apresentarem seus trabalhos, assistirem as palestras, e ainda visitarem as atrações turísticas de Resende, Penedo, Itatiaia e Visconde de Mauá, no sul do Estado do Rio de Janeiro.

    A Comissão Científica foi formada por conceituados professores da PUC-SP, FATEA, UERJ, UNICAMP, e AEDB, com experiências em eventos dessa natureza.

    Almeja-se com a realização do SIMPED incentivar e promover a participação da comunidade acadêmico-científica com uma crescente inserção nacional e integração interinstitucional contribuindo para o aprimoramento e qualidade do ensino, pesquisa e extensão compatível com os parâmetros exigidos pelos órgãos reguladores e fomentadores da graduação e pós-graduação brasileira visando contribuir para a melhoria das condições sócio-culturais e educacionais do país.

    Agradecemos o interesse, pedimos a divulgação deste evento e colocamo-nos à disposição para quaisquer esclarecimentos que se façam necessários, através dos sites: http://www.aedb.br/simped, http://www.aedb.br, pelo e-mail simped@aedb.br ou pelo telefone (24) 3383.9000; bem como encontramo-nos à sua disposição para a divulgação de seus eventos.

    Estrada Resende Riachuelo, 2535 – Campo de Aviação – Resende /RJ – CEP 27 511-971 -Tel. (24) 3383.9000

  38. amigas,passeando em busca de assuntos relevantes para a educação do sec.21,encontrei a vossa enquete e respondendo a primeira pergunta,acredito que os pais precisam de orientação dos educadores que ao ultimamente,não só deve ensinar os filhos,mas também aos pais,pois alguns,estão perdidos quanto as suas funções,oriento que os educadores,criem oficinas de educação para os pais,em que haja estudo de casos problemas ou não,espero que tenha colaborado com alguma solução para este enorme desafio que se não bem enfretado,todos n´s iremos sofrer as consequencias,caso use esta orientação,gostaria de ser comunicada ok!

  39. ola passando por aqui á procura e assuntos que me norteie sobre o desafio das famílias e educadores em formarem cidadãos saudáveis encontrei esta enquete de muito serventia, quando finalizar meu tcc que leva o tema ” a importância da família no processo de aprendizagem da criança nas fazes iniciais ” voltarei e deixarei informações mais contundentes ok? muito obrigada por esse blog!

  40. Perfect work you have done, this internet site is really cool with good information.
    Obra perfeita que você tem feito, este site da Internet é muito legal, com boas informações.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 25 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: